Covid 19
E@D
“Microalgas e as Alterações Climáticas”
Data: 2020-09-16 Visualizações: 139

“Microalgas e as Alterações Climáticas”

Os alunos Ana Gomes, Júlia Dória e Tiago Silva do 12.º ano da nossa Escola, desenvolveram um projeto intitulado “Microalgas e as Alterações Climáticas” no âmbito do concurso Jovens Cientistas 2020, que foi selecionado para participar na 18º Mostra Nacional de Ciência Virtual, a qual decorrerá em meados de outubro. O projeto desenvolvido por estes alunos de excelência e elementos do Clube Eco-paper, no ano letivo transato, sob orientação da docente Ângela Morais em colaboração com a Professora Doutora Nereida Cordeiro e Mestre Marisa Faria do laboratório de Microalgas da Universidade da Madeira, teve como principal objetivo cultivar microalgas e testar o seu poder biofertilizante em culturas de feijoeiro.

Recorde-se que as microalgas são seres microscópicos unicelulares que vivem principalmente em meios aquáticos, através da realização da fotossíntese, produzem maior quantidade de oxigénio, do que todas as florestas do planeta. As microalgas contribuem para minimizar as alterações climáticas pois fixam grandes quantidades de dióxido de carbono, a sua biomassa pode ser utilizada para a produção de biodiesel em alternativa aos combustíveis fósseis; podem ser usadas no tratamento de águas residuais; atendendo ao elevado teor proteico que possuem são uma alternativa à pecuária, atividade que liberta muito metano para a atmosfera; têm ainda muita utilidade na indústria alimentícia, farmacêutica, cosmética, medicina e constituem uma alternativa aos fertilizantes químicos tão prejudiciais para o ambiente, permitindo a produção de alimentos de forma mais sustentável,

Com este projeto constatou-se que as microalgas podem ser facilmente cultivadas pela população e usadas como biofertilizante natural, promovendo um maior crescimento das culturas.

Este trabalho apresentou grande relevância científico-pedagógica, uma vez que foi de encontro à realidade local, os alunos envolvidos foram agentes ativos no processo ensino aprendizagem, o que contribuiu para o seu sucesso escolar e para a formação de cidadãos proativos e sensíveis às questões ambientais.

Situando-se a nossa Escola na Reserva da Biosfera de Santana, este projeto constituiu uma mais-valia na valorização dos recursos biológicos, demonstrando novas estratégias biotecnológica, ecológica e economicamente sustentáveis para o setor agrícola, importantes na minimização do problema atual das alterações climáticas.

 

Próximas Reuniões

    Não foram adicionadas reuniões a realizar nos próximos dias.