Covid 19
E@D
O Sermão de Santo António aos Peixes foi pregado pela primeira vez há 366 anos
Data: 2020-06-13 Visualizações: 49

O Sermão de Santo António aos Peixes foi pregado pela primeira vez há 366 anos

O "Sermão de Santo António aos Peixes" foi pregado no Maranhão, Brasil, em 13 de Junho de 1654, dia de anos de Santo António. Foi a metáfora utilizada pelo padre António Vieira contra a desumanidade com que os colonos portugueses tratavam os índios.

O sermão trata de um assunto intemporal: a variedade enorme de peixes que existem, o que fazem para se comerem uns aos outros e a sua ambição de poder.

No século XVII, enquanto todos procuravam estrelas e planetas, o padre António Vieira procurou o mar para falar da espécie humana e do Brasil do seu tempo, onde os colonos escravizavam os nativos, e os homens se “devoravam uns aos outros”.

O “Sermão de Santo António aos Peixes”, inspirado em Santo António de Lisboa, defensor dos pobres,  é uma alegoria da alma humana, dos seus vícios e virtudes e, sobretudo, a defesa da humanidade nas relações entre os homens.

António Vieira, nasceu em Lisboa e partiu ainda criança para o Brasil. Estudou num colégio de jesuítas, tornando-se um aluno brilhante. Ingressou na Ordem de Jesus, foi professor de retórica e ordenou-se sacerdote. Foi diplomata e missionário.

Neto de avó africana, o padre António Vieira manifestou um grande interesse pela diversidade humana, seus hábitos e línguas e ficou conhecido junto das tribos como “Pai Grande”,  por defender os índios e os escravos.

Numa época em que os pregadores concentravam em si todas as atenções e os sermões tinham um peso mediático na sociedade, Padre António Vieira notabilizou-se pelos seus sermões e pela sua capacidade retórica; foi «um imperador da língua portuguesa», como o chamou Fernando Pessoa.

 

Fonte: RTP Ensina

 

Próximas Reuniões

    Não foram adicionadas reuniões a realizar nos próximos dias.